adelgazar

"Não sei o que"

| quinta-feira, 25 de novembro de 2010 | |

Naquela noite ela chegou ao seu novo esconderijo,como sempre chega: cansada, com fome e com saudade.

Olhando para as pequenas panelas tomou coragem de preencher o prato.
A comida não é ruim, porém faltava um pouco de "não sei o que."

Prato preenchido, corpo jogado no chão, pouca força pra segurar o garfo,
e um pouco de não sei o que por cima da comida.

Quando comemos como se fosse a última refeição qualquer sabor é delicioso,
e os modos da menina não são tão educados, então a comida desce rápida e pesada,como se fosse uma gordinha em um toboagua,
mas sempre ocorre o risco de entalar no meio do caminho.

O "não sei o que" atrapalhou a divertida descida pelo toboagua
do seu esôfago, a boca secou, ardeu, sangrou e clamou por água.

E a respiração da menina cessou por uns instantes e os olhos lacrimejaram,
e agora ela sempre quer mais um pouco de "não sei o que",
quem sabe nas próximas tentativas ela consegue entrar em óbito.

(Nata Rangel)



3 comentários:

Mulher na Polícia Says:
21 de janeiro de 2011 15:46

Oi minha linda!!!

Que foi???
Parou por que?

Olha... eu também sei que sempre tem um "não sei o quê" que intala mesmo quando bata aqui dentro.
: )

Um beijo.

Mulher na Polícia Says:
21 de janeiro de 2011 15:59

Você tá bem?
: )

Nata Rangel Says:
2 de fevereiro de 2011 09:02

oi meu bem, eu realmente dei uma parada, mas logo voltarei ... comecei a viver mta coisa nova, é o que me da inspiração pra começar a escrever.

Obrigada pelo carinho.

Postar um comentário